terça-feira, 6 de junho de 2017

A cabana

Eu diria que foi esse filme que me chamou, e finalmente consegui vê-lo e o vi sozinho, cheio de emoções, ainda bem que tinha levado o lenço, ele fala de alguém que precisa se reconciliar consigo mesmo, talvez seja o meu caso, não sei, mas foi importante vê-lo e não achar que ainda estou preso naquele mundo paralelo e de que fui vítima da situação do bairro Santa Cecília, de onde a gente viu que quase fomos levados a um final não previsto nas escrituras sagradas, não por mim, nem sei como Deus me tirou de lá, mas acho que eu estava lá por algum motivo, provavelmente para salvar uma família que tinha um futuro maior pela frente. Eu de fato não entendi aquilo, mas hoje acho que fui salvo, porque foram dados vários avisos para aquela situação e eu acho que o traumatismo daquilo me leva a pensar no filme. A pergunta seria: e se eu pudesse falar com Deus, como ele me trataria? E seria eu alguém especial, pelo tipo de aliança que eu fiz? De que por isso eu poderia ter mais uma chance de me recuperar em reação aos acontecimentos do passado? Eu sempre fui do bem, e procurei sempre ajudar as pessoas de uma forma diferente, eu acabei mesmo talvez tendo um novo horizonte pelo meu passado em relação a isso. De qualquer forma, assim mesmo, eu teria que ter uma forma de saber mais sobre isso, de como me conectar melhor e de como obter respostas e como posso fazer isso sem ferir ninguém, apenas sendo eu mesmo, trocando os gestos e mostrando a ele a forma de recuperar o terreno perdido e encontrar novamente o elo perdido, poder ajudar de uma forma que fosse mais simples e mais direta, eu queria mostrar uma nova forma de converter tudo isso em fé.

horóscopo do dia

"Tudo está sob controle e andando do jeito que você planejou. Preservar essa condição é seu próximo desafio, por isso, retenha, por enquanto, novos voos que entusiasmem sua alma e se dedique em cheio à preservação." Oscar Quiroga Será mesmo? Isso só pode ter interferência de Deus, que certamente anda me carregando para eu não cometer nenhuma bobagem já que tenho procurado andar de acordo com as escrituras. Não pude me revelar ao padre porque é uma conversa que depende mesmo da minha auto estima melhorar muito, ela não anda abalado, mas ainda acho que esse ciclo não se fechou totalmente e penso que muitas coisas ainda podem estar sujeitas a avaliações mais corretas sobre o que me cerca de fato. Preservar essa condição depende mais de mim do que alguém que queira modificar o meu estado de sensatez, e eu tenho colocado os dois pés no chão e avaliado de que somente com muita concentração e foco eu posso continuar a manter essa ar de estabilidade emocional e conseguindo enfim me separar daquele eu do passado que ficou de uma forma para trás bem distorcida, enfim, estou conseguindo voltar a ser eu mesmo, sem depender de mais ninguém sobre mim, a não ser como já disse, o próprio Deus que me carrega para me tirar de situações indesejáveis. O passo agora é descansar e voltar com tudo para conseguir ter motivo de sobras para voar bem alto do que eu mesmo imaginava.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

na Região Sul, só 22% dos homens dividem igualmente tarefas da casa com as mulheres

Lavo a minha roupa na mão, a maioria das vezes. Os sapatos também. Faço o churrasco, a maionese, o pão com alho. limpo a minha casa, mas passo um paninho, recolho as fezes do cachorro, às vezes. Não passo roupa, mas compro coisas para casa. Agora tenho procurado controlar o orçamento. Tiro lixo, dirijo e muito mais, eu sou o poli Homem sexual.

Mulher de Eike Batista volta a exibir rotina fitness nas redes sociais

Até quando não temos proposito na vida, existe uma justificativa para isso. No caso desse pessoal rico, em que desfrutar da vida e das coisas boas é o seu propósito, a filosofia de vida é, além do desfrute, uma forma de se manter aberto as oportunidades, sem elas qual forem para investir o seu dinheiro de uma forma lúdica. A resposta disso está na forma como lidamos com essas diferenças em relação ao uso financeiro da nossa capacidade de gastar, esbanjar e esnobar.

Prof. Ari Riboldi Festas Julinas?

Festas juninas: Celebradas no mês de junho, sendo dia 13, Santo Antônio; dia 24, São João; e dia 29, São Pedro. São festas de santos populares da Igreja Católica. Foram cristianizadas ainda na Idade Média, pois já existia a festa pagã do solstício de verão, que marcava a proximidade das colheitas. Realizavam-se sacrifícios para afastar as estiagens e os males sobre os cereais. Já havia também a tradição da fogueira, com danças de alegria pelo anúncio da chegada de meses de abundância. Essa festa pagã era comemorada em 24 de junho, mês cujo nome é uma homenagem à deusa Juno. Por essa razão, é um equívoco falar-se em festas "julinas", mesmo que aconteçam no mês de julho, nome que homenageia o imperador Júlio César. Se assim fosse, o adjetivo adequado seria festas "julianas", lembrando Júlio César. Apesar do engano e da impropriedade, o uso vem se consagrando e as festas "julinas" (que na prática são as juninas adiadas para o mês subsequente) são anunciadas na fala e na escrita, até no meio mais formal. Fale e escreva corretamente: Festas juninas, julinas As festas juninas recebem esse nome porque ocorrem no mês de junho. No entanto, junho origina-se da deusa Juno, esposa de Júpiter e mãe de Marte. Festas juninas, no sentido original, eram festas pagãs em homenagem à deusa Juno. Assimiladas pela tradição cristã (festa de Santo Antônio, São João e São Pedro), ocorrem no mês de junho. Por isso, não se pode falar em festas julinas - se fossem transferidas para o mês de julho. Serão sempre festas juninas (da deusa Juno), mesmo que proteladas para julho, agosto. Significa que é errado dizer "festa julina". Se houvesse, seria "juliana", em homenagem ao imperador Júlio César, pois o mês de julho é uma homenagem ao mesmo. Se assim fosse, a festa de agosto seria "augustina". Conclusão: as festas juninas podem ser feitas em junho, mês indicado, ou em julho, agosto, mas sempre se chamarão juninas. Exemplos: A escola celebrará festa junina no próximo sábado. / Em razão das chuvas, a festa junina da comunidade foi adiada para o primeiro sábado de julho. Ditado popular Bola para o mato que o jogo é campeonato Aplica-se no futebol, quando os jogadores de um time chutam a bola para qualquer lado, preferencialmente para bem longe, para fora do campo, na tentativa de impedir que o adversário jogue. A tática é empregada na hora do aperto, durante a pressão do time oposto, para garantir o placar favorável, em vitória apertada ou empate vantajoso. A frase surgiu no tempo em que os campos de futebol localizavam-se em áreas abertas, próximas a banhados, rios e matos. Como não havia bola para reposição – a única existente era a do jogo -, o tempo transcorria até que ela fosse resgatada e voltasse para o campo para o reinício da partida. Hoje, os estádios têm cercado de proteção, gandulas para a reposição imediata e bolas de reserva para o jogo não sofrer a mínima interrupção. Emprega-se a frase, de forma simbólica, para outras circunstâncias da vida, sempre que alguém recorre a subterfúgios e artifícios para impedir que os demais atuem com lisura e presteza, tentando atrapalhar ou retardar o seu trabalho. Ari Riboldi participa de programa de televisão O professor Ari Riboldi, servidor da Secretaria Municipal de Educação (Smed), participou, em 19 de maio, do programa Todo Seu, apresentado por Ronie Von, na TV Gazeta de São Paulo (SP). Na oportunidade, Riboldi explicou a origem de alguns ditados e expressões populares da Língua Portuguesa. Para acessar a entrevista, clique aqui. Nelsonpoa:Eu sempre fui dessa teoria, bola pro mato. Uma vez joguei uma bola em cima do Kastelão Menino Deus, o supermercado e tive que ir buscar...coisa de louco, pior do que isso, era descer de lá, coisa incrível, como é que eu tive aquela capacidade...de qualquer forma, eu me senti privilegiado por fazer parte daquela zona e do pessoal do colégio, já que o pessoal da Barbedo era muito ruim de negócio. Eu tenho muitas histórias de futebol para contar, de qualquer maneira, isso poderá ser feito em momento oportuno e não tenho medo disso, só queria que constasse que futebol era a minha especialidade, o vôlei também, embora raramente jogasse, o handebol participei de campeonato, basquete eu até sabia onde ficava a cesta, mas a bola era muito pesada...de qualquer forma, eu ainda acho que tudo que acontecia naquela época talvez não poderia ser vivido da mesma forma hoje, momentos e situações diferentes e com pouca envergadura. Eu sempre gostei das festas juninas porque me traziam lembranças e expectativas que poderiam gerar uma variedade de sentimentos em relação às pessoas que participam da festa com espírito de presença emocional, compartilhando a sua própria vontade de se sentir presente.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

STJD sugere exclusão do Inter da série B do Brasileirão

Há tempos atrás o Grêmio teve que jogar muitas partidas fora por essas questões de "penas administrativas" impostas ao clube e a gente sabe muito bem que só existe uma coisa que faz com que o time sinta o problema, mexendo no bolso, não com a torcida, com o clube que não tem absolutamente nada a ver com isso. Mesma coisa com as torcidas organizadas que são punidas porque seus integrantes querem fazer outra coisa além de ver e torcer no dia jogo, querem é beber, encher a cara e se drogar, entrando no estádio daquele jeito, muitas vezes fazendo a bagunça no lado de fora, ainda assim, ameaçando as famílias que por ali se circulam. Além disso, o caso Aranha acabou por trazer a eliminação do Grêmio da Copa do Brasil. O Grêmio vários anos não participou da Copa do Brasil porque estava na Libertadores, imaginem, de todas essas ladroagens e injustiças que fazem com o clube e seus torcedores, acabam por fazê-los ainda maior, e é assim que acontece com os clubes, que são feitos, não por dirigentes, mas sim por sua história. Eliminando um time de uma competição seria um ato impensável, mas provavelmente realizado de forma política, prejudicial a todos interesses do Rio Grande do Sul e ao próprio Grêmio, em tendo o seu rival numa condição inferior, se sentiria na des-obrigação de fazer investimentos e realizar uma espera de muitos anos para ver o rival em condições de ser considerado um clube grande. Os clubes do interior do RS poderiam com isso terem uma nova capacidade de crescimento em razão disso, mas por outras causas. Uma recuperação dessa envergadura teria que se deixar de lado a rivalidade e assumir uma postura sobre a situação que está em causa.

Horóscopo do dia

"Agora você está chegando ao nível que buscava, e isso não foi produto da sorte ou do misterioso destino, mas resultado de todo seu empenho e persistência. Mesmo de forma atrapalhada, as coisas continuam em marcha." Oscar Quiroga O Quirogudo sempre diz coisas que me interessam quando a situação está sob controle. Eu não sei porque o nível era esse mesmo, mas ele quer dizer que o perigo passou, finalmente. E, de tanto ter resistido e persistido, agora eu estou com a sensação de que tudo, segundo o Quin, está finalmente chegando a ponto de ebulição e abate constipado do medo e do constrangimento. Eu só sei que larguei tudo de mão e me concentrei no trabalho e inclusive fiz projeto de realização do trabalho de forma a não me perder do modelo que criei para poder me assegurar que tudo sairá como o Quirogudo está dizendo. Mesmo de forma atrapalhada, quer dizer isso, que sou mesmo atrapalhado, e que para mudar isso é necessário que a concentração seja protegida por conferências de si mesmo, o que cá entre nós é uma forma de seu auto-proteger que ninguém aguenta, mas somente isso teremos a certeza de não cometer trapalhadas que possa danificar o resto do padrão. Quanto ao resto do projeto, ele simplesmente não anda e não encontro uma forma de estabelecer o ganho com a capacidade de realização do mundo paralelo, estou bem distante disso.

terça-feira, 30 de maio de 2017

O ato de pedir desculpas

Quem tem a coragem de falar sobre o assunto? Pedir desculpas, tem efeitos às vezes indesejáveis. Já disse uma vez tanta coisa para uma pessoa que no outro dia, conversando com a minha consciência decidi ligar para ela e pedir desculpas, melhor que não tivesse o feito, ela entendeu e aceitou, mas ficou com a mágoa e o rancor, na primeira oportunidade, me dizendo aquilo que eu jamais queria ouvir, me ligou no outro dia e me pediu desculpas, estava decretada que aquela relação não evoluiria mais, e por mais que houvesse alguma possibilidade continuar, havia chegado ao fim, nem como amigos, porque amigos são amigo, não se desejam o tempo inteiro. Só existe uma forma de expulsar o demônio do corpo, é transmitir a necessidade de evolução da pessoa espiritualmente e isso, sinceramente, não é fácil, existe uma necessidade de uma sinergia com Deus, uma pessoa onipresente e que tenha certeza de que suas convicções enquanto ente superior nos remetem a uma certeza, de que você vai melhorar se você tiver a certeza de que aquela pessoa precisa ser perdoada, mesmo assim, você não terá mais a mesma possibilidade de manter uma amizade ou sequer uma possibilidade de aceitabilidade, porque quando o assunto é serio, o que não pode ficar para trás é o seu orgulho e a sua postura em relação as pessoas que um dia vocês foram. As pessoas que me fizeram mal, acabaram saindo da minha vida de uma forma permanente e isso não me trás mais explicações sobre o que se dá quando o ciclo encerra, apenas a vontade de que tudo se encaminhe da melhor forma possível. Não discutimos de como isso acontece, só sabemos que precisamos mesmo é encontrar uma nova forma de estabelecer a plenitude do nosso melhor, daquilo que realmente somos e desejamos quando falamos do bem, da sinceridade e do saber.

Remédio amargo

Opinião da RBS O parcelamento dos salários do quadro da prefeitura de Porto Alegre, confirmado ontem, é frustrante para os servidores, que passam a ser impactados diretamente no seu cotidiano pela crise financeira do município. Diferentemente do que ocorre em âmbito estadual, porém, o atraso nos vencimentos do funcionalismo municipal, a ser concretizado no mês que vem, tem um prazo previsto de dois anos, que vai depender da aprovação pela Câmara dos pacotes destinados a equilibrar receita e despesa. O desafio de superar o impasse não é apenas do prefeito Nelson Marchezan e do Legislativo, mas de toda a sociedade, incluindo os próprios servidores. A saída rápida para o impasse vai depender acima de tudo da capacidade de o município se beneficiar de um bem articulado plano de reforma da máquina administrativa, debilitada nos últimos anos por uma sucessão de equívocos gerenciais e políticos. A atual administração tem o dever de corrigir excessos da anterior, como a falta de cuidado no uso de recursos da área de saúde pública e a destinação para outros fins de verbas como as do Funcriança. A prioridade deve ser equilibrar as contas, para que a prefeitura volte a prestar serviços de qualidade. Mesmo ousadas, as medidas recém encaminhadas ao Legislativo da Capital — entre as quais o aumento na alíquota de contribuição previdenciária e mudanças na reposição salarial automática — não chegam a assegurar os recursos que faltam hoje para a folha salarial. A constatação dá uma ideia da gravidade da crise e do quanto será necessário fazer mais para reequilibrar as finanças da prefeitura. Por isso, o rigor fiscal tem que se somar a outras providências — entre as quais se incluem as parcerias público-privadas —, que contribuam para o município concentrar sua atuação em áreas essenciais. A prefeitura precisa retomar, no menor prazo de tempo possível, as condições de manter em dia seus compromissos com os servidores e com os munícipes. Nelsonpoa: O objetivo se mostra evidente e se os vereadores aprovarem essa "enganação" os serviços da Prefeitura, preparem-se, vão piorar e esse prefeitinho já está com seus dias contados, mesmo que venda a Carris, o DMAE e a PROCEMPA. O último desses, foi o Verle, que não foi eleito como prefeito, mas fez um mandato tampão e deu um fim no governo do PT de 16 anos. Deixou uma dívida que foi paga e recuperado o salário e apresentado um grande superavit que acabavam por, inclusive, fornecer gratificação de produtividade, graças ao desempenho dos seus funcionários. Se aprovado, acabaremos por verificar um novo arrocho que se desenhará pelos próximos anos, como já aconteceu em 85 com o prefeito Alceu Collares. A favor do funcionário, apenas a inflação, que está baixando. O prefeito não quis implantar um Refis nas suas contas e no resto todo porque o objetivo não é esse mesmo, e acho que a gente nem sabe qual é, mas uma coisa é certa, assim que puder ele vai se mandar e passar o bastão para frente, deixando nas mãos de outro o enredo que acaba de se meter. Esse tipo de gerenciamento, que é o de se livrar dos problemas para os outros resolver é de uma ingerência e falta de capacidade para fazer a máquina andar com uma alteração necessária apenas no Plano de Carreira do funcionário, ajustando a produtividade e as metas ao desempenho do que é necessário. Para se cortar as vantagens previstas na Lei, primeiro os juízes e desembargadores devem cortar isso dos seus vencimentos, e isso eles não vão fazer. Logo, a população elegeu o que está aí e os DIAS SÃO ASSIM.

Que Alien é você?

Nelsonpoa é: CLÁSSICO Dizem que você é preso ao passado, quando na verdade apenas não se deixa iludir pelas luzes da modernidade. Suspira quando lembra dos velhos tempos, enxerga o presente com sofreguidão e não acredita nas promessas do futuro. Eterno desiludido, prefere confiar nas bases sólidas da sua história e seguir seu caminho solitário.