quarta-feira, 22 de março de 2017

A carne é fraca

Nesses tempos bicudíssimos em relação ao que acontece com a carne e que ninguém sabia porque existem tantos vegetarianos e veganos, a resposta está por aí. Até onde todos sabem é que o sofrimento do boi quando do abate acaba transferindo para carne toda aquela morte. A questão da carne é comercial, apenas isso e como a fiscalização ainda é pífia, chegamos a esse ponto. Não se sabe o quanto dos bovinos de fato morrem até no transporte e quanto tempo ficam ali morrendo e em que condições e se aquilo de fato vai para nossa mesa e não para exportação, que não aceita qualquer tipo de material deteriorado. Aqui o que eu quero falar é da outra carne, da nossa carne enquanto Homens e Mulheres, o quanto somos vulneráveis aos nosso instintos básicos, mas tenho a impressão de que nada acontece por acaso e apenas por um mero acaso, muitas vezes até sem querer, como explicar isso? Acontece! Certa vez relatei o caso de presentear nos amigos secretos e por isso ter desenvolvido um outro sentido em relação a esse sentimento o de surpresa, de esperarmos que seja uma pessoa e na verdade ser outra, completamente diferente, e a surpresa apenas mostra o quanto somos pegos numa situação de completo despreparo emocional, a partir daí, tudo pode acontecer, até mesmo uma emoção maior. Diante desses acontecimentos, da vulnerabilidade e da nossa fragilidade, nos vemos presos a alguma situação que possa vir a acontecer como uma oportunidade de conhecer alguém novo ou estar com alguém que já passou em nossas vidas, como uma coisa boa, querendo voltar e a pessoa ali, pronta para querer voltar a receber apenas um convite para reviver um romance ou uma grande paixão, uma emoção a mais para voltar a ter aqueles sentimentos movidos ao tempo e a dedicação ao que se está esperando acontecer. Tenho amigo que investiu tudo em apenas uma vida, correta e certa, e ambicionava umas escapadas como se com isso se sentiria mais Homem e mais cafajeste, deixaria de ser um solitário e se tornaria um aventureiro, mas a cinderela tinha medo e sempre procurava o mesmo amigo de sempre, confiava nele, sabia que com ele não teria perigo de nada, ele estaria protegido, ele poderia participar daquele ambiente, sem jamais sair da sua vida real, mas acaba mesmo que o amigo não aceitava aquilo, porque só procurar naquela situação? Ter desconfianças sobre a capacidade de traição de Homem e de Mulher é não respeitar a natureza do que representa a forma como eles foram educados e no que eles acreditam. A carne é fraca, porque os relacionamentos são fracos e as pessoas apenas se encontraram e não vivem na plenitude o desejo, amor e a paixão. Ficam!

Documentário de Leandra Leal sobre travestis é eleito melhor filme no festival SXSW

"Divinas Divas" conta a história da primeira geração de travestis brasileiras, como Rogéria e Jane Di Castro, e chega em junho aos cinemas A gente espera não se decepcionar, porque o tema é intrigante e digamos cheio de preconceitos inclusive de pessoas que se dizem omissas ao tema. Em algum momento da vida, mesmo que em situação confusa você pode acabar exposto a situação de que conhece ou não a pessoa, porque e em que condições. Eu trabalhei durante algum tempo do lado de um travesti, lembro bem do período, 1991, foi nele que me inspirei para escrever meu segundo livro, é a história verdadeira do que acontece no mundo em que elas convivem e se prostituem, e esse mundo, além de perigoso é cheio de surpresas e de acontecimentos. Após isso, ainda seria possível escrever um terceiro livro, mas a medida que o tempo passa, as memórias são as mesmas, não que se possa inventar, o que significa que vai haver desconfiança nesse momento do que é real e as propostas entre quem escreve e o que viu ou ouviu. Inclusive teve uma travesti que escrevia suas memórias a cada encontro e dessa forma transcrevia com total realidade e absurdamente fiel aos acontecimentos. O livro dela queria mostrar os encontros e como aconteciam, acontecem que existem vários lados dessas histórias, o executante e o executado, entre eles uma gama de outras situações que decorrem da noite, do lugar, dos perigos e da adrenalina por se viver aventuras daquele tipo, ninguém sabe ou imagina o que acontece por ali. Distante de tudo isso, a realidade depois, em 2001, vieram aspectos como internet, celular, whatzapp, que modificaram muito os conceitos mercadológicos dessa função. O público continua sendo o mesmo e os perigos também.

Atraso nos salários na Prefeitura de Porto Alegre fica para maio

Primeira parcela da folha deverá ficar em torno de R$ 6 mil "De acordo com o secretário da Fazenda, Leonardo Busatto, considerando o fluxo de caixa atual, em maio irão faltar cerca de R$ 50 milhões para quitar a integralidade da folha do funcionalismo, de aproximadamente R$ 150 milhões líquidos. “Não teremos um terço do necessário”, disse o secretário. Apesar de evitar projeções sobre o valor da primeira parcela que será depositada nas contas dos servidores, quando o atraso se concretizar, Busatto lembrou que quando o ex-prefeito José Fortunati pagou 50% do décimo terceiro aos servidores, em 2016, foram creditados um pouco mais de R$ 4 mil. Com base neste valor, é possível prever que a primeira parcela da folha que será atrasada deverá ficar em torno de R$ 6 mil. A expectativa é a de que o pagamento integral do funcionalismo ocorra no prazo de 10 dias. O secretário mencionou, no entanto, que há esforço, envolvendo medidas de cortes de gastos e ampliação da arrecadação, para “empurrar” o atraso dos salários para junho. O déficit mensal da prefeitura de Porto Alegre está atualmente em cerca de R$ 50 milhões. Fôlego em abril O pagamento em dia da folha do funcionalismo de Porto Alegre em abril será possível, principalmente, em função de transferência do governo do Estado relativa ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Do total arrecadado com o imposto em abril pela Fazenda estadual, o valor líquido que será repassado para a prefeitura ficará em torno de R$ 42 milhões." Temer retira servidores estaduais e municipais da reforma da Previdência Proposta em tramitação no Congresso já exclui militares, bombeiros e policiais militares. Reunião com Simpa esclarece mudanças no ponto eletrônico O secretário de Planejamento e Gestão, José Parode, recebeu, na manhã de terça-feira, 21, representantes da direção do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) em seu gabinete. Na pauta do encontro, esclarecimentos sobre as alterações estabelecidas pelo Decreto 19.695/2017, a respeito do registro eletrônico da efetividade dos servidores da prefeitura. Os representantes do Simpa relataram preocupação com questões pontuais, como estabelecimentos com horário de atendimento estendido, justificativas de atrasos, entre outros assuntos referentes ao ponto eletrônico. O secretário deixou claro que os secretários municipais possuem autonomia para regrar a efetividade de seus servidores, desde que cumprida a carga horária semanal estabelecida. "O banco de horas, bem como as horas extras, só podem ser concedidos mediante autorização prévia. Da mesma forma os casos excepcionais: as chefias imediatas devem sempre, via processo eletrônico, submeter à autorização do respectivo secretário", disse. O titular da secretaria municipal de Planejamento e Gestão (SMPG) manifestou ainda que o governo municipal está disposto em colaborar e dialogar com a categoria em suas pautas sempre que necessário. Nelsonpoa: Eu não gosto nada disso. O que o governo faz na verdade é aplicar o dinheiro dos servidores no mercado, para ver se consegue obter ganhos para poder fazer investimentos que estão fora do entendimento. Isso não aconteceu em outros governos e a forma desse eleito ter começado com esse disparate todo de parcelar salários e a capacidade da justiça em se omitir que tudo não passa de um encenamento para esse governo viver mendigando dinheiro em todas as instâncias que puder, para então, a partir de algum momento, voltar a ter algum tipo de condições de, através do estado mínimo, obter condições de equilíbrio nas contas para algum tipo de aplicação de recursos sobre uma nova ordem, que ninguém sabe o que é. Primeira coisa que o governo cortou, foi em setores que não fariam o menor efeito se deixasse na mão, a segurança, o estado de educação e algumas situações tácitas. Os investimentos continuaram e não se sabe de fato o que poderia acontecer com toda a REDE, que dependia desses valores, quando chegasse atrasado no mercado, tanto irregularidade que não deixaram de pagar nunca, sempre pagaram, e a LRF nunca deixou de ser cumprida, ou se deixou, quanto foi? Agora, experimenta-se a mesma questão na PMPA e não se sabe o impacto que causaria nas contas em relação a isso, o que se sabe é que todo o mercado que mexe com o problema salarial da PMPA sabe do que está acontecendo e tenta se prevenir como pode, para quem tem o dinheiro, nunca foi tão fácil negociar, ele está escasso e as oportunidades precisam ser muito bem analisadas e oferecidas a fim de conseguir obter produtos com os melhores preços de mercado. Nelsonpoa: Muitas pessoas não se lembram, mas antes do ponto eletrÕnico existia a folha ponto, que exigia muito mais responsabilidade do que o ponto eletrônico, com a implantação desse, foi um alívio para quem trabalhava de fato, com isso, acabou-se implantando o banco de horas, que dava a possibilidade de o servidor usar o período que ficava além do necessário, com isso, horas e horas foram se acumulando, e tirar a folha ponto era a melhor coisa que poderia ter acontecido. ACabando-se com o bando de horas e horas extras, quem dependia dos penduricalhos está realmente temendo o sustento da família, e o dinheiro vai ser usado apenas para pagar fornecedor, já que quem faz o trabalho vai ficar de mãos amarradas. O problema é que primeiro se tira e depois se tenta ver o que pode-se fazer, o sindicato não vai deixar por menos. Horas completadas é o que interessa. O banco de horas tem que voltar para quem realmente é necessário na empresa.

Horóscopo do dia - uma previsão inconstante

Áries "Que tudo pareça aberto e disponível não é necessariamente um convite a você ir em frente e apostar todas suas fichas. Reconsidere amanhã todas as vontades que tiver hoje e verá que muitas seriam desnecessárias." Oscar Quiroga Na verdade quando se aposta todas as fichas é porque tem mulher envolvido na questão, eu encaro desse jeito pelo menos, e só vale a pena apostar se uma serie de variáveis estiverem disponíveis, ou seja, o universo precisa conspirar a favor, muito a favor, se você não está na lista dela, nem de convidado. Planejamento em cima de projetos que não funcionaram e que muito foi investido, não quer dizer que não vai dar certo um dia, talvez o problema seja outro, mas isso ainda está sendo analisado e a melhor forma de lidar com isso é ficar exposto as condicionantes do tempo e do espaço, já que por mais marketing e publicidade que se faça, ela não está bem direcionada ou não é nada daquilo que se espera sobre aquele contexto. O que na verdade precisamos é um negócio que seja auto-sustentável, com produtos que tenham a oferecer uma garantia da necessidade e do prazer de usar e que seja lembrado sempre. Agregado a isso, só podemos ter mesmo uma marca, de confiança, de atendimento unica pessoal e com os resultados esperados, ninguém aqui é psicólogo de plantão, mas acho que lidar com necessidade requer isso, algo diferente que pode ser traduzido por você mesmo, e pelo que você é e faz. Quando eu faço, eu sou o melhor, o que seria?

terça-feira, 21 de março de 2017

Remédios quase 5% mais caros em abril

Confira dicas para não sentir tanto o peso deste aumento no bolso Como poupar: Para economizar nos medicamentos, que lhe custam R$ 180 mensais atualmente, a dica de é pesquisar preços em diferentes farmácias antes de comprar. — Já que eu não pago mais passagem de ônibus, é mais fácil bater perna por aí atrás do mais barato — recomenda Eliete, confeiteira aposentada. Mas atenção se a ideia for comprar várias caixas do medicamento de uso contínuo antes da subida de preço. Preste atenção nas datas de validade. A armazenagem também precisa ser correta (confira a bula para ver as instruções). — Não aconselhamos ter uma farmácia em casa e fazer estoque de medicamentos — esclareceu o coordenador técnico científico do Conselho Federal de Farmácia, José Luiz Miranda Maldonado. Para garantir desconto, é importante estar atento a programas de fidelização das fabricantes, que fornecem descontos na compra para clientes cadastrados no site. As farmácias populares, do governo federal, oferecem diversos medicamentos gratuitamente mediante a apresentação da receita médica. LISTA DE MEDICAMENTOS DISPONIBILIZADOS PELO “AQUI TEM FARMÁCIA POPULAR” INDICAÇÃO MEDICAMENTO ANTICONCEPÇÃO ACETATO DE MEDROXIPROGESTERONA 150MG ANTICONCEPÇÃO VALERATO DE ESTRADIOL 5MG + ENANTATO DE NORETISTERONA 50MG ANTICONCEPÇÃO ETINILESTRADIOL 0,03MG + LEVONORGESTREL 0,15MG ANTICONCEPÇÃO NORETISTERONA 0,35MG ASMA BROMETO DE IPRATRÓPIO 0,02MG ASMA BROMETO DE IPRATRÓPIO 0,25MG ASMA DIPROPIONATO DE BECLOMETSONA 200MCG ASMA DIPROPIONATO DE BECLOMETSONA 250MCG ASMA DIPROPIONATO DE BECLOMETSONA 50MCG ASMA SULFATO DE SALBUTAMOL 100MCG ASMA SULFATO DE SALBUTAMOL 5MG DIABETES CLORIDRATO DE METFORMINA 500MG DIABETES CLORIDRATO DE METFORMINA 500MG - AÇÃO PROLONGADA DIABETES CLORIDRATO DE METFORMINA 850MG DIABETES GLIBENCLAMIDA 5MG DIABETES INSULINA HUMANA 100UI/ML DIABETES INSULINA HUMANA REGULAR 100UI/ML DISLIPIDEMIA SINVASTATINA 10MG DISLIPIDEMIA SINVASTATINA 20MG DISLIPIDEMIA SINVASTATINA 40MG PARKINSON CARBIDOPA 25MG + LEVODOPA 250MG PARKINSON CLORIDRATO DE BENSERAZIDA 25MG + LEVODOPA 100MG GLAUCOMA MALEATO DE TIMOLOL 5MG GLAUCOMA MALEATO DE TIMOLOL 2,5MG HIPERTENSÃO ATENOLOL 25MG HIPERTENSÃO CAPTOPRIL 25MG HIPERTENSÃO CLORIDRATO DE PROPRANOLOL 40MG HIPERTENSÃO HIDROCLOROTIAZIDA 25MG HIPERTENSÃO LOSARTANA POTÁSSICA 50MG HIPERTENSÃO MALEATO DE ENALAPRIL 10MG OSTEOPOROSE ALENDRONATO DE SÓDIO 70MG RINITE BUDESONIDA 32MCG Dicas para economizar em medicamentos Antes ou depois do aumento, vale a pena ficar atento a dicas para economizar na compra dos remédios. Confira as que o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira dos Educadores Financeiros (Abefin), recomenda para poupar: — Peça ao médico, pelo menos, três opções de laboratórios diferentes para o remédio que ele indicar. — Pesquise preços na internet e nas farmácias de rua. — Separe um tempo para fazer esta pesquisa, não comprando o que precisa na primeira farmácia pela qual passar. — Informe-se com os laboratórios que fabricam os remédios que você usa sobre programas de fidelidade. — Busque medicamentos em farmácias populares. — Prefira medicamentos genéricos. As dicas de Nelsonpoa: Troque os medicamentos e seus laboratórios e experimente qual deles você se sente melhor e não tem efeitos colaterais. Não caia no golpe do nome da Farmácia, como Farmácia de Diabetes, que é um engano, é mais cara que a farmácia comum. Pesquise em todas as Farmácias, e vá naquela rua, como na rua da Praia aqui de Porto Alegre, que temos na mesma faixa de quadra, FArmácia Popular, Raia, São João, Panvel e uma outra que não me lembro o nome, uma na frente da outra. Uma delas vai apresentar o melhor preço. Se não tiver farmácia Popular, ligue para o laboratório e pela desconto, encha o saco até conseguir. A questão do genérico não é só isso, você tem que procurar o melhor genérico e pesquisar na internet sobre o laboratório, se tem reclamação sobre ele e o produto que você precisa. Essa é a grande questão. A pesquisa da internet é par quem for comprar pela internet e quiser fazer comparações que vão poder auxiliar sobre o preço e estabelecer comparativos. Em se tratando de remédios tudo é muito tendencioso, tenha a visão que a fidelidade é importante, mas não é decisivo, por exemplo, tiras de Glicemia, se for pagar numa farmácia comum, a fidelidade em determinados casos faz a diferença e é difícil obter descontos se não ligar para a empresa/fornecer. O certo é que em alguns lugares, oferece a promoção de levar outro aparelho e os desconto em relação a sua marca é mais de 100%, inacreditável, mas quem pesquisa sabe como é.

Caso Manu: acompanhado do pai, promessa do Grêmio viaja para Barcelona

Deco Nascimento, o diretor geral da Escolinha do Grêmio, afirmou que o clube não foi comunicado de qualquer plano de viagem de Ferreira. – É uma surpresa que tenha ocorrido esta viagem. Da última vez que conversamos, ele avisou que estava dando uma espairecida em Tramandaí– lamentou. Tem gato na tuba! E o Grêmio já sabe que se deixar barato vai ter outro Pilantra querendo passar de ano sem fazer as provas. Essa questão de assédio em formação de educação de pessoas que estão sendo orientadas a fazer procedimentos desrespeitosos fica mal para o próprio clube. Essa chinelagem que acaba de alçar voo, está esperando levar vantagem em cima de um time grande de serie A e agora Campeão da Copa do Brasil, título quentinho. Acho melhor dar corda para esses peixes se iludirem.

horóscopo do dia

"É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e, por isso, não é admirável o nível de tensão, ao ponto de sua alma imaginar que não vai dar conta. Contudo, você vai dar conta e avançar se nutrindo dessa tensão toda." Oscar Quiroga" Essa previsão é do ano passado, com certeza, ou ele repetiu uma situação do tempo, que não pode fazer e aplicou essa mesma. Não, eu não tinha visto ainda, mas é que já passei por isso o ano passado e ele me falou em outra palavras o que eu deveria fazer, agora as minhas preocupações são outras. A do que eu possa representar escrevendo, do alcance real das palavras, do que elas significam e o contexto que pode abordar, principalmente o jovem, e que talvez ele tenha a esperança de mudar o que está por aí de tão ruim e confuso, como aquilo que acontecia há muito tempo atrás com as crianças, com o bullying opressor, que é de muito tempo, mas que agora, com a violência mostrada em todas as partes e as câmeras expostas em todo o lugar, a gente sabe que tudo tem um ponto de partida e será que a gente não sabia de tudo que acontecia na nossa rua, no nosso bairro e na nossa cidade, ou a coisa tomou rumo tão desproporcionais que agora apenas nos cabe mostrar, como se não tivéssemos mais condições de mudar. Fico pensando nisso, será que tenho que mudar a minha ótica e mostrar ao jovem de que apenas ele pode refazer ou construir algo novo e moralmente legal para as próximas gerações, que os outros precisam ser domesticados de forma que a prisão não seja apenas um destino, mas o pior deles e que passar por aquele lugar não quer dizer que você não possa mais viver e ter uma nova chance nessa sociedade, talvez em outra, dos perdidos que querem uma segunda chance. Quando as histórias forem contadas, elas precisam ilustrar as circunstâncias e porque dos acontecimentos e como eles aconteceram e quem acabou participando de uma forma de descontrole para procura da nossa salvação que precisa estar num lugar que a gente deseja.

Polícia responsabiliza adolescente de 12 anos por morte de estudante em Cachoeirinha

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Barra da Lagoa - SC Fotografia de JORGE LÚCIO DOMINGOS - ARQUITEITO - ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Na investigação, delegado aponta que Marta Avelhaneda Gonçalves poderia ter sido salva se socorristas soubessem do estrangulamento Após ouvir 22 testemunhas, incluindo alunos e socorristas, o delegado Leonel Baldasso da 1ª Delegacia de Polícia de Cachoeirinha, concluiu a investigação sobre a morte da adolescente Marta Avelhaneda Gonçalves, 14 anos. A vítima foi morta por asfixia dentro da sala de aula no dia 8 de março, na Escola Estadual Luiz de Camões, em Cachoeirinha. Além de entender que morte foi intencional em razão do estrangulamento, a polícia concluiu que o desfecho trágico poderia ter sido evitada caso a adolescente tivesse dito a verdade aos socorristas. Os profissionais do Samu que atenderam à ocorrência não sabiam que Marta havia sido estrangulada, pois não havia sinais externos. Eles também não foram informados que houve uma briga. A informação repassada aos socorristas foi de que a vítima havia batido a cabeça. Portanto, os profissionais realizaram os procedimentos de acordo com a suposta causa. Eles ficaram cerca de meia hora no local tentando reanimá-la. — Os profissionais foram induzidos ao erro. Se soubessem que era uma asfixia, fariam um procedimento chamado de "cricotomia". Infelizmente, ela chegou ao hospital já sem pulso — lamentou o delegado. Baldasso destacou ainda a cautela da médica ao atender a ocorrência no hospital. Em princípio, Marta chegou à unidade como vítima de morte natural. Porém, a especialista desconfiou e pediu a necropsia. Foi aí que se descobriu a morte por asfixia. — No hospital não fazem necropsia quando a morte é natural. A médica acabou tomando conhecimento das circunstâncias e encaminhou o caso para a polícia — disse o delegado. Bullying no primeiro dia de aula Com base nos depoimentos dos alunos e de professores, a polícia identificou que a rixa entre Marta e a adolescente de 12 anos responsabilizada pela morte iniciou no primeiro dia de aula, ou seja, um dia antes da morte. Marta era aluna nova, pois havia mudado da Capital para Cachoeirinha com a mãe. No primeiro dia, a adolescente teria a chamado de "feia" e "balão". Em um dos diálogos presenciados pelos colegas nos corredores da escola, Marta teria parado para tirar satisfação com a adolescente: "Está falando mal de mim?". E a adolescente teria respondido: "Sim, estou". Após alguns minutos de discussão, a adolescente teria questionado: "Quer ver então?". Este diálogo teria ocorrido pouco antes da briga. Os professores disseram à polícia que não sabiam da confusão, pois ocorreu na troca de turno. Os cerca de 10 alunos que presenciaram o fato não contaram sobre a discussão. Porém, elas perceberam que pelo menos três meninas, entre elas a jovem apontada pela polícia, estavam agitadas no dia em que Marta morreu. Nelsonpoa: Acho que devemos ressaltar a data do ocorrido: 08 de março de 2017, dia Internacional da Mulher, que tanto se fala em violência contra a Mulher, em que se clama por Justiça, por igualdade e por esperança de causa. Pausa para reflexão e por percebemos que os atos que são sempre classificados como dolosos e colocados a culpa como sempre em classes que são educados, geralmente por mães e não pelos pais, até porque os pais tem uma forma de demonstrar a sua atitude em relação a educação, acabam de não ver apenas uma exceção, mas uma demonstração clara, absurda e doentia de como acontece as relações e do que se é capaz de realizar num ambiente e com pessoas que não tem a menor capacidade de conviver em liberdade. Esse dia deve ser lembrado para sempre!

três lugares para comer bem na Capital

Postado por Redação Donna 21-03-2017 às 07h00 Bem pertinho da Redenção, este é o lugar ideal para quem quer reunir os amigos no final de semana em um espaço bem descontraído. Sem falar no jeitinho de Buenos Aires. O cardápio tem pizzas e empanadas para se sentir na Argentina. Mas experimente, de fato, as milanesas. Idealiza: um sanduíche de milanesa acompanhado de uma boa cerveja artesanal gelada em uma tarde de sol com um atendimento simpático. Corre para lá para conhecer! Preço médio por pessoa: R$ 30. Onde? Rua Vieira de Castro, 52, Bairro Bom Fim Fone 99773-1104 Quando? De terça a domingo, das 10h às 18h No Facebook facebook.com/pg/donpugliese52 e no Instagram @donpugliese52 LA TANA Caseiro até mesmo na fachada, passa facilmente despercebido por quem está na rua. Localizado em meio a residências no bairro Três Figueiras, é a minha sugestão para quem está a fim de provar uma comidinha italiana honesta e bem feita. Não se surpreenda com a simplicidade do local – as toalhas plastificadas dão o tom da decoração. A comida, porém, é daquelas que te fazem sentir de volta à casa de sua avó. O filé à parmegiana é imperdível. A dica é pedir acompanhado de espaguete ao molho sugo. Ah! Guarde uns pãezinhos do couvert para arrecadar o restinho de molho que sobrar no prato. Preço médio por pessoa: R$ 25. Onde? Rua Comendador Creidy, 290, Bairro Três Figueiras Fone 3328-2598 Quando? De terça a sexta, das 11h30min às 14h30nmin e das 19h às 22h30min, e sábado e domingo, das 11h30min às 15h30min ALBAN ROSSOLLIN café e BOULANGERIE É um recanto francês do meio da cidade grande, perfeito para quem quer se sentir na Provence em plena Porto Alegre. Minha dica é um café da manhã bem tranquilo de sábado, para começar o fim de semana com o pé direito. O cheirinho da primeira fornada de croissants – dos melhores que já provei – é imperdível. Tudo lá é preparado artesanalmente pelo Alban, francês que se casou com uma gaúcha e veio de mala (e cuia?) para cá. O lugar é pequeno, então não estranhe se já estiver lotado – em alguns horários pode ser bem concorrido. Prove também o pan au chocolat, o canellé, os sanduíches com bagatte e as quiches. Preço médio por pessoa: R$ 30. Onde? Rua Coronel Bordini, 232, Bairro Auxiliadora Fone 3333-5577 Quando? De terça a sexta, das 9h às 19h30min, sábado: das 8h às 19h30min, e domingo, das 8h às 13h No Facebook facebook.com/pg/albanrossollin e no Instagram @alban_rossollin Nelsonpoa:Os comentários aqui não tem finesse, são de uma grosseria e um mal gosto de que não tem serventia e não agregam nada ao nosso paladar que pode ser melhor depurado. Quem não tem dinheiro e nem expectativa se recolha e não venha dar palpite no trabalho da reportagem, só denigrem e botam para baixo os profissionais que tentam fazer o seu melhor. Fazer gracinhas requer maestria e também finesse, faz parte da inteligência e educação, não vejo nada disso, além de uma explicação que é pura combinação de palavras, mas que não fortalece o conteúdo da matéria. êta pessoal interiorano esse.

Porto Alegre inicia testes para pagamento de passagens de ônibus com cartões de crédito e débito

Ônibus da linha T1 e lotações da linha 02.1 - Menino Deus testam o sistema Os ônibus da linha T1 e as lotações da linha 02.1 - Menino Deus iniciaram nesta terça-feira os testes para pagamento de tarifa com cartões de crédito, débito e pré-pago. Segundo a prefeitura da Capital, a intenção é que, em breve, os passageiros possam utilizar essas opções para pagamento de tarifa. A medida faz parte de um projeto piloto lançado nesta terça-feira pela prefeitura de Porto Alegre. De acordo com o Executivo municipal, o objetivo é melhorar a segurança nos coletivos, com circulação menor de dinheiro e também facilitar o acesso às pessoas que não possuem o cartão TRI. Para utilizar o sistema, será necessário ao passageiro ter um cartão com o tecnologia "contactless", que funciona por aproximação, sem obrigatoriedade de senhas e é bastante comum na Europa para pagamentos de valores baixos. A maioria dos bancos possui o sistema e a prefeitura orienta os usuários a procurarem os gerentes e fazerem a solicitação. Nos primeiros 30 dias de testes a prefeitura vai analisar como será o funcionamento do sistema com as trepidações dos deslocamentos, as zonas que possuem sinal fraco de internet, entre outros pontos. Depois desse prazo, se não houver problemas, os usuários poderão iniciar o pagamento com os cartões. Os coletivos terão informativos no interior dos veículos alertando sobre a nova forma de pagamento. São Paulo e Porto Alegre são as primeiras capitais do Brasil a testar o sistema. Carris expõe história do transporte na Semana de Porto Alegre A Carris participa da Semana do Aniversário de Porto Alegre com a realização da atividade cultural Carris no Mercado. A partir das 10h até as 17h desta sexta-feira, 24 de março, porto-alegrenses e visitantes da Capital terão a oportunidade de conhecer um pouco mais da história da Companhia, que estará exposta no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público de Porto Alegre. A atividade é gratuita e será mediada por duas historiadoras, colaboradoras da Carris. Serão três atrações, reunidas na região central com o objetivo de aumentar a visibilidade das relações entre a história da Carris e de Porto Alegre, promovendo o conhecimento das transformações da cidade a partir do desenho das linhas dos bondes, assim como do crescimento populacional e dos movimentos demográficos. Estarão lá o Museu Itinerante Memória Carris, a exposição Temporânea e um painel para fotos que reproduz a lateral de um bonde. Temporânea – Mostra que pretende dar visibilidade e integrar a população no processo de recuperação que acontece em territórios da cidade, Temporânea é uma exposição que aborda o processo de recuperação de territórios que vem ocorrendo em Porto Alegre. A revitalização, realizada a partir das reminiscências da “cidade do passado”, se apresenta como prática potencial de valorização e identificação da comunidade com os espaços públicos. A mostra é composta por um conjunto de totens que apresentam uma narrativa hipertextual composta por vídeos, textos, recortes de jornais, crônicas e depoimentos que apresentam o Centro em diferentes épocas: Cidade Antiga, Cidade Contemporânea e Cidade do Futuro. Como uma construção contínua da história, destacam-se seus habitantes e frequentadores como atores sociais de sua trajetória. O projeto ressalta o patrimônio imaterial, intangível, para além dos muros, prédios, calçadas e veículos, proporcionando a inserção do indivíduo em sua comunidade. Museu Itinerante – O Museu Itinerante Memória Carris encontra-se em um ônibus Monobloco Mercedes Benz do ano de 1984. O ônibus abriga parte do acervo histórico da Carris e conta com materiais produzidos especialmente para ele, como banners que estão dispostos em forma de uma linha de tempo que conta a história da Companhia e do transporte público, que se relaciona intimamente com o crescimento urbano. Também estão presentes no museu miniaturas dos antigos modelos de bonde e ônibus que circularam pela Capital, além de documentos originais e de antigas peças de bonde. Foto no bonde – Pintado com as cores originais dos elétricos, o painel para fotos destina-se aos pequenos visitantes do espaço cultural – é uma atração especial para as crianças. Forjado em ferro recortado no formato dos antigos bondes da Carris, o objeto promove a identificação de meninos e meninas com os antigos veículos. Texto de: Fernanda Schwengber Leal Edição de: Andrea Brasil Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.